Inteligência Artificial: o caminho das pedras

Inteligência Artificial: o caminho das pedras

Palestra do Aldir Brandão, CTO da CINQ, para o ECO TIC em Londrina

Nos dias 16 e 17 de setembro de 2019, aconteceu em Londrina o ECO.TIC. O evento focou na seguinte temática: Digitalização da Economia com Inteligência Artificial. Este encontro contou com key notes como: Rina Fainstein, da Nogaplus – Israel; Max Mathinson, da Telesense – EUA; Aldir Brandão, CTO e Sócio na CINQ; Fabian Kluth, da Bcredi; Briza Bueno, da B2W; Paulo Antiquera, do EBANX.

Nosso CTO trouxe alguns insights a partir da palestra que facilitou – Inteligência Artificial: o caminho das pedras. Comentaremos sobre alguns pontos a seguir.

Back to basics da Inteligência Artificial ou AI em inglês, esta refere-se ao esforço para desenvolver sistemas computadorizados que se comportam como seres humanos, uma vez que aprendem linguagens, executam tarefas físicas, usam aparelhos perceptivos e emulam o pensamento humano.

Machine Learning, por sua vez, trata do “uso de dados para responder perguntas” – Yufeng Guo (Google), 2017. Aldir também indagou aos participantes sobre qual é a essência da Inteligência Artificial e da IoT (Internet of Things)? E apresentou alguns exemplos como: Sensores, Coisas conectadas, Computadores embarcados, Mobile, Cloud, Tratamento de eventos, Controle remoto e Aplicações legais.

Nosso Chief Technology Officer também apresentou algumas perguntas importantes a serem consideradas em projetos de IA: O projeto é tecnicamente viável? Ele traz valor para o negócio? Qual precisão vamos conseguir? Que time eu preciso? Por quanto tempo?

Neste sentido, ele fez uma alusão à Pedra no meio do Caminho, que é a PoC (Proof-of-Concept) ou Prova de Conceito. Sobre este assunto, tem-se alguns destaques:

  • A maneira mais conveniente para estimar a eficiência de um modelo e a maturidade de uma solução de IA é confiar primeiro em uma POC. Esta não garante que a solução seja bem-sucedida, mas é um bom começo!
  • Objetivos da PoC: Identificar formas de acesso aos dados; Avaliar a qualidade dos dados (precisão, integridade, confiabilidade, relevância e atualidade); Alinhar expectativas – ser realista e ter compromisso com a experimentação ágil; Seleção de modelos; explicar o mundo versus prever o resultado.

Com isso, ele apresentou alguns cases em que estamos aplicando estes conceitos para o setor aéreo no que diz respeito à previsão de atrasos de partida e chegada de voos, bem como biometria. Para o setor viário, ele apresentou um caso de classificação de imagens. Neste ínterim, Aldir Brandão explanou sobre as aplicações tecnológicas nas quais utilizamos redes neurais, machine learning, deep learning e processamento de linguagem natural (PLN).

A CINQ é uma empresa de desenvolvimento de software curitibana com 27 anos de experiência em projetos nacionais e internacionais. Acreditamos que, por meio da inovação e de um mindset ágil, podemos promover a transformação digital e melhorar os negócios de outras empresas. Entre em contato conosco: https://www.cinq.com.br/contato/

 

Por Nôga Simões – Gerente de Inovação e Marketing na CINQ Technologies

Fechar Menu