Nova Economia e Inovação sob o olhar de corporates e startups

Nova Economia e Inovação sob o olhar de corporates e startups

2º MeetUp de Inovação CINQ abordou pilares da Nova Economia: learning 3.0, open innovation, product design e tecnologias emergentes

Temos uma constante mudança de cenário econômico, o momento atual tem sido considerado como volátil, incerto, complexo e ambíguo – VUCA. A Nova Economia tem apresentado diversos pilares que corporações e startups podem aprender e aplicar para se adaptar, inovar e aumentar a competitividade neste cenário. Para tratar destes pilares que estão se destacando, ocorreu no dia 15 de outubro, no Distrito Fintech em São Paulo, o 2º MeetUp de Inovação CINQ com a temática nova economia. O encontro contou com cinco talks que foram seguidos de um painel com os convidados.

Robsol Del Fiol, Arquiteto de Transformação na KPMG Brasil, iniciou os talks falando sobre a nova economia. Contextualizou que este novo cenário parte de uma necessidade de mudança ambiental do mundo, com uma nova visão econômica e um plano para implementá-la de forma rápida, englobando três pilares: energia, comunicação e transporte. Emerge assim um novo sistema onipresente, descentralizado e que conecta tudo e todos, ou seja, uma revolução de dados e apps distribuída, colaborativa, aberta, transparente e desenhada para escalar horizontalmente. Fazendo surgir a necessidade de um novo mindset para uma nova era.

O primeiro pilar sobre a temática principal abordado foi learning 3.0. Bárbara Ritzmann, Gerente de Desenvolvimento Organizacional na CINQ Technologies, tratou do protagonismo no aprendizado, explicando que no learning 1.0, o especialista define a pergunta e as respostas; no learning 2.0, os alunos definem a pergunta e o especialista define as respostas; ao passo que no learning 3.0, o aprendiz define a pergunta e as respostas. Sobre o auto-aprendizado, enfatizou que os estudos nunca terminam, a carreira vai muito além do próprio emprego, e é importante ter em mente qual é a sua marca, definindo quais são as atividades que podem se tornar projetos e o planejamento da carreira por ciclos.

Bárbara Ritzmann fala sobre Learning 3.0
Bárbara Ritzmann, Gerente de Desenvolvimento Organizacional na CINQ, falou sobre Learning 3.0

 

Marina de Almeida, Gerente de Inovação Digital na Natura, por sua vez, apresentou sobre o tema open innovation/Natura startups. A missão deste programa é conectar a Natura com empreendedores para acelerar a inovação e transformar o “jeito de ser e fazer”, com um papel ativo para o desenvolvimento do ecossistema. Os três pilares que movem a iniciativa são: alavancar negócios (prospecção ativa e passiva, chamada para desafios empresariais e conexões com o ecossistema); engajamento e cultura (educação – Natura pitch, gestão do conhecimento, experiência do colaborador e startup) e impacto positivo (atuação nas cadeias da sociobiodiversidade, apoio ao movimento Natura – laboratório de inovação social e incentivo ao empreendedorismo feminino).

O Product Designer, Egon Lugo Toegel, apresentou sobre a área na qual atua no Nubank. Falou sobre o caminho do problema à solução, uma vez que este não é linear e engloba etapas de divergência e convergência que são decodificadas no duplo diamante. Também explicou que neste ambiente de colaboração é preciso sempre buscar o melhor serviço/produto para as pessoas, não se pode prender-se ao “eu prefiro”. Para co-criar, é intrínseco encontrar a interseção entre as necessidades dos usuários e dos negócios.

Para fechar o bate papo, Fernando Rych,  Innovation & Engagement Catalyst Worldwide na IBM, apresentou um panorama de tecnologias emergentes. Partindo da ciência de foguetes, trouxe um comparativo entre a Nasa e o Space X, falando sobre a importância de aliar tecnologia e negócios para escalabilidade e resultados mais velozes. Destacou sobre o 5G, que trabalha com a lógica do custo baixo e velocidade alta, o qual chegará em breve e também as plataformas self-service, que são um futuro certo e sem volta (exemplos: XP, Rappi, Nubank, Ifood, Udemy). Por fim, fechou o bate papo dizendo que medo e inovação são inimigos, de modo que o presente e o futuro exigem uma lógica de mudança e de curiosidade.

Nova Economia e Inovação sob o olhar de corporates e startups

Por: Marketing CINQ Technologies

 

Fechar Menu